Autor: heltonsantoscin

Relatório Final: Back Here

Relatório Final: Back Here

A ideia da ferramenta “Back Here” foi idealizada durante a disciplina de Empreendedorismo em Informática, no semestre 2015.2 do curso de Sistemas de Informação, CIn-UFPE.

A ferramenta ainda não foi desenvolvida, mas pretendemos dar continuidade após o término da disciplina.

Abaixo segue o relatório final, o modelo Lean Canvas e os vídeos de apresentação da ideia:

  • Vídeo de apresentação do problema que queremos resolver:
  • Vídeo de apresentação do que pretendemos oferecer na ferramenta Back Here

 

Autores: Helton Santos [hdas@cin.ufpe.br] e Jorge Rodrigues [jrgvf@cin.ufpe.br]

Anúncios
Modelo de Negócio do Peixe Urbano

Modelo de Negócio do Peixe Urbano

O Peixe Urbano é a primeira e maior empresa de e-commerce local do Brasil. Com mais de 25 milhões de usuários cadastrados e milhares de ofertas de gastronomia, entretenimento, estética, turismo e produtos, sua missão é ajudar as pessoas a explorarem o que há de melhor em cada cidade, auxiliando as empresas locais a desenvolverem os seus negócios.

Ao longo dos anos, o Peixe Urbano vem evoluindo seu modelo de negócios, simplificando e melhorando a experiência do usuário, porém mantendo sempre a mesma missão. Hoje, a empresa funciona como um enorme “shopping de ofertas”, onde o consumidor pode encontrar facilmente o que procura, quando quiser e de onde estiver, por meio do site ou do nosso aplicativo móvel.

Utilizando tecnologia de geolocalização, além de filtros por interesse e ferramentas de personalização, navegação e busca, nossos usuários podem encontrar o que desejam entre as milhares de ofertas no ar e explorar o melhor de suas cidades. Hoje, grande parte das nossas ofertas locais já estão no formato “use agora”, o que significa que o usuário pode escolher, comprar e usar o cupom em tempo-real, sem precisar agendar ou mostrar o cupom impresso – tudo pode ser feito pelo celular com alguns toques.

Modelo de Negócio

O Canvas é uma ferramenta simples para visualizar os principais aspectos do modelo de negócios das empresas, abaixo segue o Canvas do Peixe Urbano:

canvas_peixeurbano

  • Azul: Relacionado ao segmento de cliente “Principalmente jovens e novos profissionais com acesso a internet”.
  • Vermelho: Relacionado ao segmento de cliente “Estabelecimentos com: Restaurantes, Bares, Spas, Salão de Beleza, Hotéis e Teatros”.
  • Amarelo: Relacionado a empresa como um todo, independente do segmento de cliente.

 

Referências

Paiva, Thiago. Análise dos Modelos de Negócio – Peixe Urbano, 2011. Disponível em: http://startupbizmodel.com/2011/06/30/peixe-urbano/. Acesso em: 21 de setembro de 2015.

Sobre o Peixe Urbano. Disponível em: http://sobre.peixeurbano.com.br/. Acesso em: 21 de setembro de 2015.

Autor: Helton Santos

Propriedade Intelectual no Brasil

Conceito

A Convenção da OMPI define como propriedade intelectual, a soma dos direitos relativos às obras literárias, artísticas e científicas, às interpretações dos artistas intérpretes e às execuções dos artistas executantes, aos fonogramas e às emissões de radiodifusão, às invenções em todos os domínios da atividade humana, às descobertas científicas, aos desenhos e modelos industriais, às marcas industriais, comerciais e de serviço, bem como às firmas comerciais e denominações comerciais, à proteção contra a concorrência desleal e todos os outros direitos inerentes à atividade intelectual nos domínios industrial, científico, literário e artístico.

Propriedade intelectual brasileira

A propriedade intelectual brasileira é administrada pelo IBPI – Instituto Brasileiro de Propriedade Intelectual. Esse instituto tem como objetivo fazer o estudo e divulgação em todo o Brasil da propriedade intelectual, seguindo o quel instituiu a Organização Mundial da Propriedade Intelectual – OMPI, compreendendo os direito relativos:

a) às obras literárias, artísticas e científicas;

b) às interpretações dos artistas intérpretes e às execuções dos artistas executantes, aos fonogramas e às emissões de radiodifusão;

c) às invenções em todos os domínios da atividade humana e às descobertas científicas;

d) aos desenhos e modelos industriais, bem como aos modelos de utilidade;

e) às marcas de indústria, de comércio e de serviço, nomes comerciais, bem como marcas coletivas, indicações de procedência e dneominações de origem;

f) à repressão à concorrência desleal;

g) a todos os direitos inerentes à atividade intelectual, bem como o direito à própria imagem;

h) bem como, por sua afinidade e importância para o atual estágio de desenvolvimento cultural e industrial do Brasil, compreendendo, também, a transferência de tecnologia e a defesa do consumidor.

Uma das finalidades do IBPI é Promoverá o estudo comparado das leis que regulam o direito de autor, a propriedade industrial, a concorrência desleal, a transferência de tecnologia e a defesa do consumidor, a fim de estimular o seu desenvolvimento e sua compatibilização.

Propriedade Intelectual na UFPE

O órgão responsável pela propriedade intelectual da UFPE é a Diretoria de Inovação e Empreendedorismo – DINE, onde são registrados e documentados toda propriedade intelectual da universidade. Ela tem o objetivo de orientar os inventores, depositar no INPI e acompanhar os depósitos relativos aos direitos de propriedade intelectual da UFPE gerada por seus professores, alunos e funcionários. Compete também à DINE: difundir a inovação tecnológica e o empreendedorismo; incubar novos empreendimentos; estimular a produção de criações, inovação e outras formas de tecnologia. Por fim, a DINE também é responsável por gerir e comercializar a propriedade intelectual da UFPE.

A DINE também protege os direitos de propriedade intelectual da UFPE, de seus professores, alunos e funcionários por meio da gestão de contratos, convênios, acordos e/ou termos. Toda relação envolvendo propriedade intelectual deve passar por consulta à DINE, principalmente para opinar sobre o conteúdo de Convênios, Contratos e Termos a serem firmados envolvendo a UFPE, seus professores alunos e funcionários, agências de fomento, fundações, empresas privadas e órgãos públicos. Dentre esses documentos formais, vale citar: Convênio de Cooperação; Contrato de Prestação de Serviços; Contrato com Fundação de Apoio; Termo Aditivo; Termo de Rescisão; Acordo de Fornecimento de Tecnologia; Contratos de Co-Titularidade; Contratos de Exploração de Patentes; Termo de Confidencialidade; Contrato de Licenciamento de Tecnologia e/ou know-how.

Referências

WIPO. World Intellectual Property Organization. Disponível em: http://www.wipo.int/portal/en/. Acesso em: 17 de setembro de 2015.

IBPI. Instituto Brasileiro de Propriedade Intelectual Disponível em: http://www.ibpi.org.br/. Acesso em: 17 de setembro de 2015.

DINE, UFPE. Propriedade Intelectual. Disponível em: https://www.ufpe.br/dine/index.php?option=com_content&view=article&id=321&Itemid=245. Acesso em: 15 de setembro de 2015.

Autor: Helton Santos